7 cadeiras para trabalhar no home office sem dor nas costas


Divulgação
Cadeira ergonômica e tecnológica Embody, da Herman Miller

Em tempos de home office, a criação de um ambiente de trabalho tranquilo dentro de casa se torna essencial. Porém, mais do que um local calmo e arrumado, o profissional remoto pode precisar de algo muitas vezes ignorado: a ergonomia. O nome é curioso, mas essa ciência é extremamente importante para a saúde e a produtividade de funcionários de todas as áreas.

O consultor Fernando Giatti, pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho e Ergonomia e Certificado pela Abergo (Associação Brasileira de Ergonomia), explica que a nomenclatura é “a ciência que trata da adaptação do ambiente de trabalho às características físicas e psicológicas do colaborador”. Sendo assim, atuar em casa pode não ser tão simples quando se utiliza a cama como mesa de ofício ou a música alta do quarto ao lado como tema de fundo.

VEJA MAIS: Veja 8 maneiras de tornar seu ambiente de trabalho em casa mais eficiente

“De forma simples, é indispensável um ambiente sem incômodos: barulhos no nível de tolerância para a atenção e concentração, iluminação adequada, quantidade de tarefas dentro da possibilidade de tempo contratado, mesa, cadeira, computador em uma disposição que proporcione alcance manual e visual em uma zona de conforto”, explica o especialista. Basicamente, o cenário do home office precisa ser o mais confortável possível para que transmita eficiência e saúde ao profissional.

Encontrar um local silencioso para estimular a concentração já é um hábito comum para muitas pessoas, mas e quanto a pensar nos móveis disponíveis para trabalhar?

Para Giatti, a falta de atenção na escolha de assentos pode fazer com que todos os planos criativos de criar um ambiente “amigo” vão por água abaixo, podendo inclusive prejudicar a saúde. “O desconforto pode surgir com incômodos e dores leves em região de coluna lombar e quadril”. Além disso, há a possibilidade de agravamento de quadros pré-existentes de dores nas costas.

Segundo o ortopedista Maurício Martelletto, diretor da Clínica Pró Movimento, em São Paulo, a demanda para atendimento de pessoas com lesões na coluna nas últimas semanas só tem aumentado. “Só hoje (29), operei três pacientes que travaram nessa quarentena. Todos eles estavam trabalhando em casa, de home office”, revela.

Mais do que um desconforto momentâneo durante o horário de serviço, o problema pode ser tornar uma rotina preocupante e duradoura. Mesmo assim, muitos demoram para perceber que uma simples cadeira é responsável por toda a tempestade. “Às vezes, a complexidade está na identificação do fator que está gerando o desconforto. O profissional pode não encontrar de forma rápida ou não imputar relevância, achando que o incômodo irá diminuir com o tempo”, diz o consultor.

Dar importância ao local em que você vai ficar sentado por cerca de oito horas por dia, cinco vezes por semana, pode ser o segredo de um trabalho remoto com produtividade máxima. Segundo Giatti, para aqueles que se interessam na aquisição de um novo assento, a categoria executiva costuma atender bem as necessidades. Já Martelletto adiciona algumas dicas para o momento da compra: “O importante são os detalhes, a qualidade dos materiais e mecanismos internos. O produto precisa, por exemplo, ter regulagem de profundidade do apoio lombar, apoio regulável para cervical e para os antebraços, tanto na largura quanto no direcionamento, e ajuste para a altura”. Além disso, estar dentro das normas NR17, que regulamentam a ergonomia no trabalho, pode ser um ponto guia para encontrar cadeiras certificadas.

Martelletto ainda destaca a importância de valorizar mais os detalhes estruturais do assento e sua durabilidade do que a marca em si. “Eu particularmente acho que devemos orientar pelo lado ergonômico e não pelo lado emocional que cada um tem”. Para ele, a melhor tática para aquisição de uma cadeira seria o teste: observar qual se encaixa melhor com os músculos e o físico de cada indivíduo. Porém, por conta do isolamento social, nas compras online o profissional recomenda atenção às medidas, regulagens, estruturas e estofados. Sem a possibilidade de showrooms, as detalhadas pesquisas na internet se tornam essenciais para o consumidor da quarentena.

Veja na galeria abaixo alguns exemplos de cadeiras que atendem os requisitos da ergonomia e contribuem para um home office eficiente (mas se lembre de pesquisar se a descrição dos produtos condiz com sua necessidade):

Divulgação
F.Way
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação
Divulgação

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

O post 7 cadeiras para trabalhar no home office sem dor nas costas apareceu primeiro em Forbes Brasil.


Fonte Beatriz Calais e Laís Campos
Data da Publicação Original: 1 May 2020 | 9:00 am


You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *