Nintendo abre queixa contra Super Mario 64 no Google e YouTube


No último final de semana uma versão de Super Mario 64 foi encontrada na internet, rodando nativamente no Windows em 4K e com suporte para telas mais largas, mas não demorou muito e Nintendo já está correndo atrás para derrubar este port, reclamando com Google e YouTube.

super mario 64 menor

Convenhamos que o port é bom. Ele foi feito com base no código fonte do próprio game de 1996, para que pudesse rodar nativamente no Windows 10 com ajuda do DirectX 12, com suporte para resolução 2160p (4K) e até 60 fps, um salto enorme perto do original e seus 240p em 30 quadros por segundo.

Texturas foram refeitas e até sprites foram retrabalhados para que não sofressem com o upgrade no número de pixels. Mesmo com este ótimo trabalho, a Nintendo é conhecida por ser feroz na hora de proteger sua propriedade intelectual e a fama foi seguida, com ajuda da empresa americana Wildwood Law Group LLC e que já trabalhou para a Nintendo no passado.

Em uma das ações os advogados afirmam ao Google que o Super Mario 64, incluindo a obra audiovisual, software e personagens são de propriedade da Nintendo e que o port foi feito com base em trabalho da empresa japonesa, sem sua autorização.

O objetivo é de remover o arquivo executável que está armazenado no Google Drive, que abre o jogo. Como a internet é a internet, cópias deste arquivo apareceram em diversos sites de compartilhamento de arquivos, que adiantaram o trabalho e já removeram os downloads. Até mesmo postagens em páginas do Reddit foram apagadas, todas com links para baixar o Super Mario 64 para PC.

Vídeos do YouTube também fazem parte da reclamação, o que fez com que a gameplay que colocamos na publicação sobre o game fosse removida.

É, durou bastante até.

Com informações: TorrentFreak.

Nintendo abre queixa contra Super Mario 64 no Google e YouTube




Fonte André Fogaça
Data da Publicação Original: 8 May 2020 | 9:54 pm


You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *