Nova regra: Google vai exigir comprovação de identidade a todos os anunciantes


Valendo-se da novidade em caráter imediato, o Google passará a exigir a comprovação de identidade e país de origem de todos os usuários do programa Google Ads, segundo a empresa confirmou em um post publicado em seu blog oficial. A norma já existia antes, mas valia apenas para figuras políticas que fizessem uso da plataforma publicitária, mas no intuito de combater a desinformação na internet, a empresa de Mountain View agora ampliou essa abrangência para todas as pessoas.

Agora, antes de publicar qualquer anúncio, o Google exigirá do membro documentos de identificação pessoal e relacionados ao seu ou seus negócios, a fim de determinar a validade da identidade e o país de origem da entidade a veicular a publicidade. Para o lado do usuário final, ou seja, quem vai ver o anúncio, a coisa também muda: as informações de identificação do anunciante poderão ser visualizadas ao clicar na opção “About the Advertiser” (“Sobre o Anunciante”, na tradução literal).

(GIF: Divulgação/Google)

“Essa mudança fará com que seja mais fácil para as pessoas entenderem quem é o anunciante por trás das publicidades que eles veem veiculadas no Google e auxiliá-los a tomarem decisões mais bem informadas quando usarem nossos controles publicitários”, disse o chefe de integridade publicitária do Google, John Canfield, que assina o post no blog da empresa. “Isso também vai dar suporte ao ecossistema de publicidade digital ao detectar atores maliciosos e limitar suas tentativas de má representação”.


Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.

Canfield ressalta, porém, que a medida, embora já esteja valendo desde a publicação do post, levará um tempo até ser totalmente implementada: “provavelmente, vai demorar anos”, ele afirma. Neste primeiro momento, o Google está dando prioridade a anunciantes que ofereçam produtos e serviços, promotores de conteúdo educacional e, finalmente, materiais que tenham alta regulamentação governamental, como medicamentos e outros produtos de saúde ou inerentes a jogos de azar. As empresas destes setores já estão sendo notificadas pelo Google e terão prazo de um mês para enviar o material de comprovação: a falha em obedecer esse prazo implicará na não veiculação de anúncios — mesmo aqueles programados antes da nova diretriz.

O Facebook implementou algo parecido nas páginas de empresas e pequenos negócios, há alguns meses: anúncios servidos pela rede social fundada por Mark Zuckerberg, desde julho de 2019, trazem informações que indicam o motivo daquela propaganda ser servida para determinados usuários, bem como o ponto de origem que o levou a ela (se o anúncio é relacionado a um site ou página que você visitou, por exemplo).

Também falando do Facebook, desde o final de 2018, a rede social implementou identificação obrigatória de donos de páginas na rede, fazendo essa regra valer também para páginas empresariais.

Leia a matéria no Canaltech.


Fonte Rafael Arbulu
Data da Publicação Original: 23 April 2020 | 9:55 pm


You may also like

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *